Publicação: 04/05/2022
Grupos de apoio promovem campanha pela criação do Dia Nacional da Cultura Oceânica

Interessados podem se juntar à campanha por meio dos grupos virtuais; reunião aberta da iniciativa que faz parte da Década do Oceano será realizada em 13 de maio

Os interessados em se juntar às ações da campanha pela criação do Dia Nacional da Cultura Oceânica no Brasil podem entrar nos links dos grupos de WhatsApp divididos em quatro áreas temáticas: Legislação, Educação Ambiental, Mobilização e Articulação,  Criação de conteúdo e eventos. A atividade é coordenada pelos Grupos de Apoio à Mobilização (GAMs) da Década do Oceano. A reunião aberta será realizada no dia 13 de maio, sexta-feira, às 13h, e pode ser acessada por meio deste link. A ideia é apresentar uma proposta de agenda e de governança da campanha. Após a reunião, os grupos terão continuidade e atuarão de forma conjunta na governança da campanha e na implementação do seu plano de ação.

“Queremos trabalhar o conceito de cultura oceânica a partir da visão dos povos que vivem nas comunidades costeiras de cada região do país, como os caiçaras, jangadeiros, pescadores, quilombolas, indígenas e populações periféricas. Também procuramos olhar para aqueles que desenvolvem trabalhos artísticos inspirados no mar, como os artesãos e artistas locais”, afirma o oceanógrafo e antropólogo Edmir Amanajás, do GAM Sudeste, que coordena a campanha junto aos GAMs das outras regiões.

Segundo o oceanógrafo, a ideia de criar um dia para a cultura oceânica surgiu durante uma reunião do grupo InterGAM, que reúne representantes dos cinco grupos: Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul. Uma das sugestões de datas seria o dia 2 de fevereiro, Dia Mundial das Áreas Úmidas e quando também é comemorado o Dia de Iemanjá no Brasil, mas essa possibilidade ainda será discutida nas próximas reuniões. “Queremos ouvir sugestões das pessoas que têm representatividade. Por isso, esperamos contar com lideranças locais e representantes de movimentos sociais envolvidos com as populações das zonas costeiras. incentivamos que as pessoas interessadas participem das ações com a gente. Esperamos que eles sejam os protagonistas”, explica Amanajás.

Além da criação do dia da cultura oceânica, o grupo também pretende mobilizar ações para que a proposta de projeto de lei contemple a inserção do debate sobre a cultura oceânica nas escolas. Santos, em São Paulo, foi a primeira cidade do mundo a instituir o ensino da cultura oceânica no currículo das escolas da rede municipal. O debate e a divulgação da cultura oceânica fazem parte das metas da Década do Oceano. Outro objetivo da campanha é pensar em um calendário de comemorações em torno da data, para que o debate continue ocorrendo ao longo de todo o ano.

“Esta mobilização deixará um legado fundamental para o País, com impacto direto na melhoria institucional e beneficiando as novas gerações”, observa a coordenadora-geral de Oceano, Antártica e Geociências do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Karen Silverwood-Cope, membro do Comitê de Assessoramento da Década no Brasil.

O Brasil produziu um Plano Nacional de Implementação da Década da Ciência Oceânica, com canais próprios de divulgação que promovem a cultura oceânica. O MCTI é ponto focal para as ações da Década no Brasil. Os Grupos de Apoio à Mobilização para Década, por sua vez, são organizações voluntárias para apoiar a mobilização em torno dessa agenda em articulação com a pasta ministerial.

Acesse e conheça mais sobre ações da Década do Oceano:

https://decada.ciencianomar.mctic.gov.br/comite-gestor/

Confira as atribuições de cada um dos grupos de mobilização e veja em qual você pode contribuir:

Legislação: Escrever uma proposta de lei federal de iniciativa popular para criação do Dia da Cultura Oceânica e inserção da Cultura Oceânica nas escolas.

Educação Ambiental: Fomentar nos coletivos de educação ambiental atividades locais sobre Cultura Oceânica ligadas à campanha.

Mobilização e Articulação: Auxiliar na difusão e adesão de coletivos e grupos organizados (associações, movimentos, redes, projetos, etc) à campanha do Dia da Cultura Oceânica.

Criação de conteúdo e eventos: Criação de cards, peças de divulgação, vídeos, conteúdo explicativo e organização de eventos online e presenciais sobre a campanha.

 

 

Redes Sociais